15
Dez 10

1. Houve alguns livros do género do Apocalipse para além do livro de S.joão?

Todas as épocas têm importância no que se escreve e o apocalipse tem o seu contexto histórico primeiramente pelo seu genro literário…apocalipse quer dizer revelação e revelação é retirar aquilo que está oculto e apresentar uma novidade, uma verdade. O género literário do apocalipse está relacionado com o género profético…mas é diferente pois o género profético consiste na recepção de revelações (Verdades do presente e do futuro) de deus e a sua transmissão oral, enquanto que o género apocalíptico está ligado a visões que alguém escolhido por Deus tem e escreve-as.

Mas o apocalipse tem uma história e o 1º Apocalipse é o de Ezequiel, no tempo (1587 a,c) de invasão da Babilónia e da destruição de Judah e Jerusalém, no século II a.c existe também Daniel que tem visões e as escreve num tempo muito complicado e com muitas perseguições. Apesar de existirem vários apocalipses e em particular no periodoo do novo testamento, o único que a Igreja considera ter autoridade divina é o de S.João que é o último livro da sagrada escritura.


 

 

2. Contextualize-nos a época histórica em que foi escrito o apocalipse. Considera que a época influenciou a obra?

O contexto em que é escrito é trágico e de violência, destruição e perseguição da igreja, estamos no final do século I, por volta do ano 100\95, no tempo do imperador Domiciano que perseguiu a igreja no oriente (perseguição que se iniciou com Nero) …consequentemente, os cristãos estão com muitas dúvidas, desanimados e quase que na descrença e perguntam como é possível que Cristo tenha dito “Eu venço o mundo” e que agora seja o mundo que os esteja a vencer a eles, e assim vai surgir o Apocalipse.

3. Qual o conteúdo do livro Apocalipse?

O apocalipse tem 22 capítulos e começa verdadeiramente no capítulo 4º, porque os 3 primeiros capitulos são muito especiais e são cartas às 7 igrejas do Oriente, que possivelmente nem fariam parte…e são especiais porque são uma mensagem de esperança às igrejas do Oriente que estão em sofrimento e ao mesmo tempo são os culpados dessa situação (segundo s.pedro) por não terem tido o fervor que Jesus Cristo lhes exige. O Apocalipse desenvolve-se a partir do Capitulo 4º e termina no 22º. Primeiro há uma grande visão de Deus sobre o seu Poder do Universo e de toda a criação, depois dá-se a entrega desse poder ao filho de Deus feito homem que aqui é apresentado como “Cordeiro”, depois são apresentadas as perseguições através da história particularmente de Roma e do Império romano a que chamam de “Besta”, existe também a referência ao demónio que continua a sua acção de perseguição e inimizade com Deus, é referido também um tempo de paz para a igreja simbolicamente referido como “um reino de 1000 anos”, após isto haverá uma nova perseguição e finalmente haverá o julgamento de tudo e de todos em que os fieis serão recompensados e então chegaremos à “Jerusalém Celeste”, onde não haverá dor, nem morte e tudo será felicidade. E portanto, este livro centra-se na esperança de que venha esse final de um tempo eterno sem dor, nem morte.

4. Qual a mensagem que o apocalipse nos transmite?

O apocalipse é uma mensagem Deus que é uma mensagem de esperança, esperança que se exprime através do reconhecimento da perseguição, da interpretação dessas violências e sofrimentos, mas tem um seguimento em que Deus vai proteger a Igreja e os Cristãos, vai convidar os perseguidores à conversão e vai mandar-lhes sinais e castigos, mas castigos para mudarem a visão em relação à igreja…e finalmente os Cristãos e o conjunto da Igreja Triunfaram e essa é a grande mensagem do apocalipse: uma visão de um futuro em que até lá há muito sofrimento, mas que acabará com Paz, esperança e com o triunfo da Igreja…que será cumprida visto que Deus diz “não temeis eu venci o mundo”.



5. Considera que o período do Armagedon está próximo?

Não, este fim é um fim certo e é um fim para o qual tudo caminha porque o tempo não é circular é dinâmico e rectilíneo, embora que com ondulações caminha para uma plenitude, é como que quem faz uma viagem com uma meta…e a história do Mundo e do Universo, é um processo dinâmico e de crescimento, que por vezes nós não entendemos, que é como que o crescimento de uma flor, nós não somos capaz de medir ou cronometrar o crescimento e assim esta é concessão dos cristãos: de que o tempo é dinâmico, cresce e pleno que terá um fim em que se dá um fim em que a matéria é transformada e é espiritualizada, ou seja fica fora do tempo e entra na eternidade, esta é a visão do apocalipse. Mas a linguagem do género apocalíptico é simbólica e a dificuldade é interpertar…Neste caso, é fácil interpretar que “a besta” é o império romano, mas depois tudo o resto é difícil de se interpretar…nós não podemos interpretar e aplicar às vicissitudes e circunstâncias da história desde o império romano até hoje…nós sabemos é que a história caminha e que Cristo virá...e todos os católicos acerditam que virá para julgar os “vivos e os mortos”. O próprio Jesus Cristo disse que o fim do mundo viria, mas diz “que nem os anjos, nem ele próprio como sabia”, mas segundo ele o fim do mundo virá... ninguém sabe quando é o fim do mundo , tudo é fantasia quando se determinam as circunstâncias do fim do mundo ou uma data do mesmo. Tudo isso é fantasia puramente arbitrária e todas as previsões de profetas ou charlatães ao longo da história se têm cumprido. Há depois umas interpretações que a linguagem é tão vasta e aberta que depois se pode meter la dentro tudo o que se quiser.  É uma escrita ambígua que se refere ao passado...e há várias interpretações que dizem que foi o Hitler ou a queda das torres gémeas, mas tudo isto é fantasia. Há seitas que até já definiram milhentas de vezes o dia, a hora e o lugar e até fugiram para os montes e nada aconteceu! Não se sabe, nem se pode saber quando é o fim do mundo – não se pode saber se é hoje ou amanhã, nem se está é perto ou longe…é obvio que está mais perto hoje, do que estava ontem!


publicado por mitouverdade às 23:53

No passado dia 13 de Dezembro realizamos uma entrevista ao Padre Doutor Manuel Marques Gonçalves, entrevista que se integra no tema "teoria(s) do Apocalipse e que será apresentada em 2 partes visto que se integra nos sub-temas do livro do apocalipse e de Nostradamus.

Em primeiro lugar importa fazer uma pequena biografia do nosso entrevistado:

- O Padre Doutor Manuel Marques Gonçalves nasceu no ano de 1931, actualmente é o pároco Igreja Paroquia Nossa Senhora dos Remédios de Carcavelos desde 2008. Dentro da área da Igreja foi Membro da Sociedade Missionária Portuguesa, Reitor do Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Paris, Cónego Honorário da Basílica de Notre-Dame de Paris e Director do Departamento de Formação do Patriarcado de Lisboa. Na área da Teologia, tem licenciatura em Teologia e em estudo das sagradas escrituras (ambas tiradas em Roma e o respectivo doutoramento na Universidade de Lovaina) e leccionou no Seminário de Cucujães, no Instituto Superior de Estudos Eclesiásticos, Escola Catedral da Diocese de Paris e na Universidade Católica Portuguesa e foi encarregado do curso de Teologia Bíblica na Universidade Católica Portuguesa.

publicado por mitouverdade às 23:19

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


subscrever feeds
arquivos
Visitas
contador de visitas
sayaç
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO